Encerramento da campanha Novembro Azul

Na sexta-feira, dia 30 de novembro, a Prefeitura Municipal de Lagoa do Barro, através da Secretaria Municipal de Saúde realizou um evento que simbolizou o fim da campanha "Novembro Azul". O evento aconteceu no prédio da Câmara Municipal de Vereadores, onde estava presente uma equipe multiprofissional da Secretaria Municipal de Saúde de Lagoa do Barro junto a população masculina do município.

Este ano a campanha municipal do novembro azul teve como tema: “Cabra macho também de previne”.

No local, aconteceram palestras de orientação e foram oferecidos alguns serviços médicos, como: aferição da pressão arterial, glicemia capilar , teste rápido de PSA, ultrassom da próstata e consulta com urologista, além disso, também foram distribuidos brindes à população.  

Segundo o médico urologista, Dr. Sólon Reis o exame preventivo a partir dos 40 anos de idade se resume ao toque retal, dosagem do Psa no sangue (antígeno especifico da próstata), e a biopsia da próstata guiado por um ultra-som transretal .

De acordo com o urologista, o câncer de prostata é desprovido de sintomas em sua fase inicial, por tanto, ele destaca a importância da realização do exame de prevênção.

“Destes o que causa maior tabu é o toque retal que é feito em frações de segundos e como digo em minhas palestras-show, não da tempo nem de gostar nem de desgostar. Algo semelhante a coçar o olho ou passar o dedo no vidro de seu relógio. Estes exames se revestem de uma importância muito grande devido ao câncer da próstata ser surdo e mudo, desprovido de sintomas em sua fase inicial. Portanto é tido como traiçoeiro pois quando mostra a cara já está avançado”, disse o médico especialista, Dr. Sólon Reis durante a palestra. 

A campanha "Novembro Azul" é de ordem nacional e foi criada para estimular o homem a cuidar mais da saúde e alertar para os perigos do câncer de próstata, além de informar a respeito da importância dos exames de prevênção. Segundo o Ministério da Saúde, os homens vivem em média sete anos a menos que as mulheres, porque não costumam se preocupar com a própria saúde.